CORREDOR

OESTE

CORREDOR OESTE

Original com 70X100cm 

Tinta acrílica ecológica à base de água e pastel seco s/ papel

Licitação mais alta: 160€

(o valor da licitação é atualizado todos os dias às 18:00 horas)

Ouve a narração da autora:

São 10h30 quando estaciono na Quinta da Fonte.

É o primeiro destino que me faz pegar no carro.

Hoje a Quinta da Fonte celebra os seus 30 anos e, por isso, está tudo em alvoroço de volta das preparações.

Vou entrando tímida, sentindo-me claramente uma invasora.

 

“Â. Ê. Â. Teste. Som”.

 

Testa-se o som, montam-se os stands que servirão de cafés e a estrutura do palco. Uma equipa de limpeza garante que todas as mesas estão impecáveis.

 

Na coluna altifalante podemos ouvir uma voz radiofónica “Quinta da Fonte: É um parque de escritórios que sempre nos apaixonou pelo seu potencial”.

 

Sentindo que estou a atrapalhar mais do que a ajudar, resolvo voltar a pegar no carro e seguir até ao Lagoas Park, aproveitando para documentar o corredor oeste da cidade.

 

Aqui, fico surpreendida com a beleza e a calma do jardim: a relva bem tratada, com os puffs coloridos onde relaxam os jovens das mais variadas nacionalidades. O lago e o som relaxante da água a escorrer em cascata. Os panos brancos presos com cordas, que garantem a todos sombra. A variedade de cafés e restaurantes, à escolha do freguês.

 

Escolho o Go Natural, peço um café e um croissant e sento-me na esplanada, sempre acompanhada do meu fiel caderno.

 

À minha frente, dois homens brasileiros parecem estar num almoço de negócios.

“Eu acho que fora o Google, a Amazon é dos mais acessados…todo o site tem essas propagandazinhas”.

 

O empregado de mesa, num tom afetado e visivelmente irritado, desabafa com a colega “Ela já vai ver com quantos paus se faz uma canoa!”.

 

Terminado o meu café, pego no caderno e junto-me aos mais relaxados, nos puffs do jardim. Que bem que se está, na sombra dos panos brancos e com o som da água a escorrer como música de fundo. Fico muito tempo nesta posição, a observar, a rabiscar.

 

Ainda bem que cheguei antes do almoço, ou não encontraria lugar para me sentar. Vi chegar e partir muitos grupos diferentes.

 

“Sometimes I feel my age, when I’m running for 2 hours…”

E de repente a conversa é comigo: “The smoke is bothering you?” – respondo que não e voltei a fechar-me no meu mundo.

 

Ouvi espanhol e distingui os diferentes sotaques: argentino, colombiano, castelhano.

“Si consigues um grupo no lo cambias nunca!”

 

Chegou um grupo de colegas carregando tabuleiros com o almoço, na pausa do trabalho. Neste grupo, uma rapariga monopoliza a conversa, insistindo muito no tema da astrologia. “Os carneiros têm boa auto-estima. Os gémeos são muito empáticos no início, depois têm aquela questão de género”.

 

Outros dormem a sesta.

 

Uma mulher em traje formal, fala ao telefone o que soa a código misterioso, numa mistura de português e inglês “Tudo bem? It’s already in transaction”.

 

Um cheiro a charro surge de repente no ar e as gargalhadas misturam-se com o espanhol, ora argentino ora colombiano: “hasta el culo!” “P’a arriba!”.

 

Uma mulher, de uns 30 e poucos anos e de cabelo encaracolado, liga a alguém para apenas perguntar se gostou do ananás. “Era só para ter um feedback. Beijinhos, gosto muito de ti”.

 

Num outro grupo discute-se os problemas da educação em Portugal “As escolas hoje em dia estão desatualizadas. Os miúdos precisam de brincar, bolas! Há coisas que se aprendem na brincadeira. Alguém quer um cafezinho?”

 

A da astrologia continua “Os escorpiões não são teimosos?! Ai o meu filho é tão teimoso!”

 

De repente encontro-me novamente sozinha e sentada na mesma posição. A hora de almoço já foi e as pessoas dispersam de volta ao interior dos edifícios, onde os espera o trabalho pendente.

 

E eu resolvo que a minha missão no Lagoas Park está cumprida e sigo de volta à Quinta da Fonte, onde a festa já vai a meio.

 

Aqui, reencontro antigos colegas da Cushman, aceno aos atuais, com quem estive ainda ontem, e bebo um copo ao som de música jazz. “She calls me sunshine” ouve-se bem alto, das colunas junto ao palco.

Reencontro a Vera, atarefada como sempre “Esta manhã já estive em 8 eventos e tenho uma reunião agora às 15h!”.

 

Junto-me ao Miguel e acompanhados pelo Luís Antunes, gestor responsável pela Quinta da Fonte, entramos no pavilhão onde se encontra uma exposição sobre o projeto da mesma. Ele vai-nos guiando, enquanto a conversa com o Miguel toma outro rumo, a propósito de saber liderar uma empresa “Quem é o tipo mais fora da caixa da tua empresa? Ok, é ele que fala, tu não.”. “Eu gosto de pegar fogo às coisas, como tu sabes”. Antes de sair do pavilhão, paro-me em frente a uma frase do Winston Churchill, impressa num dos painéis: “We shape our buildings; thereafter they shape us”.

 

Despeço-me de todos, um especial abraço aos ex-cushmanos e sigo de volta ao centro da cidade.

LICITAÇÃO

O grande objetivo desta exposição de pintura é o de servir a comunidade e todas as receitas serão doadas a associações de solidariedade social. Todas as receitas do dia 7 de Março, no evento Future of Cities, serão distribuídas pelas associações de solidariedade que tenham um valor inferior respetivo comparativamente com as outras.

Licitação mais alta: 160€

(o valor da licitação é atualizado todos os dias às 18:00 horas)

Fim de licitação.

 

Muito obrigado a todos os que licitaram e de alguma forma quiseram contribuir para ajudar as associações ligadas a este projeto. Até dia 15 de março iremos rever todas as licitações e identificar os novos donos de cada obra, que serão contactados com as informações e próximos passos a seguir (pagamento e entrega da obra).

 

Aos restantes, não queremos deixar de agradecer a participação. No caso de, ainda assim, quererem ajudar uma das associações, ou mesmo as três, deixamos abaixo o IBAN de cada uma delas, bem como a descrição e o site respetivo.

 

Muito obrigado mais uma vez a todos, por criarem impacto social na nossa comunidade.

ENTREMENTES

IBAN

PT50-0033-0000-45312001008-05

A Associação, de âmbito nacional, visa intervir ao nível da protecção e da integração familiar, sócio-profissional e comunitária de indivíduos maiores de 16 anos, pertencentes a grupos de risco no âmbito da psiquiatria e da saúde mental, debilitados, incapacitados ou diminuídos devido a perturbação mental, bem como de indivíduos residentes em contextos sócio-económicos mais desfavorecidos e/ou problemáticos.

HORAS DE SONHO

IBAN

PT50-0035-0159-00080687830-79

A Horas de Sonho tem como missão apoiar as famílias, na conciliação da vida familiar com a vida profissional, promovendo o bem-estar das comunidades, através do desenvolvimento de projetos de qualidade, socialmente inovadores e sustentáveis. 

 

Nascida em 2002, como cooperativa de solidariedade social, a partir de uma iniciativa da Santa Casa de Misericórdia de Lisboa, tem como valores base a inovação, a sustentabilidade, a cooperação, a qualidade e personalização do serviço, e a criação de valor para a sociedade, na medida em que estabelece os preços dos serviços de acordo com o rendimento de cada família, adaptando-se às suas necessidades específicas. 

  

A sua intervenção assenta em 2 pilares: serviços a famílias, com foco em crianças e jovens, e intervenção comunitária, desenvolvendo projetos que potenciam os talentos e recursos locais, que visam o empoderamento da comunidade e promovem a cidadania ativa, a coesão territorial, a empregabilidade, as competências transversais e a literacia digital, através do apoio no acesso a plataformas online de serviços públicos. 

Auxílio e Amizade

IBAN

PT50-0010-0000-26506680001-25

Em Junho de 2001, um grupo de 21 pessoas reuniu-se num jantar de reflexão. Todos partilhavam as mesmas preocupações e o mesmo desejo: reunir experiências, conhecimentos e disponibilidades para ajudar os sem-abrigo e famílias carenciadas.

 

Decidiram, então, criar um grupo de trabalho que pudesse apontar propostas, no sentido de criar uma ajuda coordenada e de reunir ainda mais pessoas em sintonia com estas preocupações e objetivos.

 

FAQ

Caso tenhas alguma dúvida, envia um email para:

Info.portugal@cushwake.com

Todas as receitas vão reverter para as associações de solidariedade social parceiras desta exposição.

É simples. Quando a exposição terminar, serão avaliadas todas as licitações de acordo com o local onde foram submetidas. A licitação mais alta para determinada peça será evidentemente a “vencedora”. Por exemplo, se a licitação mais alta para determinada peça for no Palácio Sotto Mayor, então a receita será doada à associação Associação Auxílio e Amizade que é a que tem um papel ativo na freguesia de Arroios.

Contactaremos os felizes contemplados entre 11 e 15 de março.

Todos os pagamentos serão feitos diretamente às respetivas associações, no final da exposição.

As obras serão levantadas nas respetivas Associações.

conhece o projeto

Usa o botão abaixo para conheceres o projeto

A ARTISTA

MADALENA FREITAS

Madalena Freitas, de 36 anos, é licenciada em Pintura pela Faculdade de Belas Artes, da Universidade de Lisboa.


Geriu uma galeria de arte no Chiado e quando esta fechou, em plena crise de 2010, fez uma pós-graduação em Design Gráfico na FLAG, que lhe abriu novas portas no mundo do Design.


Antes de ingressar na Cushman & Wakefield trabalhou em agências de comunicação e foi freelancer durante 5 anos. Desde 2019 assumiu a função de designer gráfica na equipa de Marketing da consultora.


Viveu um ano em Valencia, onde foi monitora de crianças no atelier educativo do museu de Arte Moderna (IVAM).


Cresceu em Alcácer do Sal, tem dois filhos, de 7 e 5 anos e além de pintar também tem um especial interesse pelo cante alentejano e lírico, técnica que aperfeiçoou no conservatório de Lisboa e Setúbal.

© 2024 Cushman & Wakefield, Inc. All rights reserved.

A Cushman & Wakefield (NYSE: CWK) é uma consultora líder global em serviços imobiliários que cria valor significativo a ocupantes e investidores em todo o mundo. A Cushman & Wakefield está entre as maiores empresas de serviços imobiliários com 52.000 colaboradores distribuídos por 400 escritórios em 60 países. Em 2022, a consultora registou uma faturação de 10,1 mil milhões de dólares através de serviços de agência, representação de inquilinos, vendas e aquisições, gestão de imóveis, gestão de projetos, consultoria e avaliações. Conta ainda com vários reconhecimentos da indústria e das empresas pela cultura e compromisso com a diversidade, equidade e inclusão (DEI), bem como com o meio ambiente, a sociedade e a governança (ESG). Globalmente, foi premiada pela Euromoney como a Melhor Consultora Imobiliária do mundo por cinco anos consecutivos (2018-2022).  Para saber mais visite www.cushmanwakefield.com